AROMATERAPIA: o que é?

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no google
Google+
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

AROMATERAPIA: o que é?

Aromaterapia é uma prática terapêutica que se utiliza das propriedades dos óleos essenciais para restabelecer o equilíbrio entre o bem-estar físico e psicológico. É uma medicina natural, alternativa, preventiva e curativa.

A aromaterapia nos mostra que há ligações entre o olfato e o emocional. Ao inalar os aromas, os canais olfativos mandam a mensagem diretamente para o nosso sistema límbico – parte do sistema nervoso responsável pelas emoções. Quando a informação chega, o cérebro reage as propriedades aromáticas, modificando o nosso estado de espirito. Assim, uma pessoa que está com alto nível de stress, após praticar a aromaterapia, consegue acalmar e relaxar. O mesmo acontece coma alguém que sofre de insônia, ansiedade, depressão, etc. Os óleos essenciais exercem efeitos terapêuticos a nível físico, psicológico e energético.

→ A base para a aromaterapia são os óleos essenciais, mas afinal, o que são eles?

São substâncias químicas, altamente concentradas, aromáticas e extremamente voláteis produzidas pelas plantas. São consideradas como a “alma da planta”, pois são 100% naturais. São obtidos de flores, folhas, frutos e raízes mediante diferentes formas de extração. As formas mais comuns de extração de óleos essenciais são: destilação a vapor, prensagem a frio e extração com solventes.

Cada óleo essencial atua de forma diferente no nosso organismo, tendo um específico para cada objetivo. Os óleos essenciais podem, também, ser combinados com outros óleos que têm ação sinérgica, trazendo resultados ainda mais interessantes.

Os óleos essenciais, por serem substâncias muito concentradas não devem ser utilizados puros sobre a pele, pois podem causar queimaduras ou reações alérgicas. É preciso de uma substância carreadora para a diluição dos óleos essenciais. Essa substância carreadora pode ser qualquer óleo vegetal graxo (óleo de coco, óleo de argan, óleo de amêndoas, óleo de semente de uva, etc), ou até mesmo bases neutras de cremes, argilas, loções, etc. Saiba mais sobre os óleos vegetais e essenciais, clicando aqui.

  • Por questões de segurança, a diluição dos óleos essenciais em óleos vegetais graxos carreadores devem ser feitos na concentração de 1% a 3%. Não é recomendado a diluição de mais de 5% de óleo essencial. É válido lembrar que 1 ml de óleo essencial equivale a aproximadamente 22 gotas de óleo essencial.

Além disso, evite usar óleos essenciais cítricos na pele (laranja, bergamota, limão, etc) que será exposta ao sol, pois estes óleos contêm substâncias fototóxicas que podem manchar a sua pele.

→ Existem três formas de praticar a aromaterapia:

Inalação: para efeitos ansiolíticos, estimulantes, purificadores. Ligado a cura emocional, espiritual.

Ingestão: por meio de medicamentos para cura da dor interior. No entanto, a aromaterapia brasileira não utiliza dos óleos essenciais para fins farmacológicos, a aromaterapia é utilizada no Brasil para promover o bem-estar físico e emocional.

Aplicação tópica: visa tratar diversas desordens, como micoses, feridas, eczemas, queimaduras, celulite, queda de cabelo, pele seca etc. Ligado a cura física.

Assim, os óleos essenciais, na aromaterapia, podem ser usados de diversas maneiras: podem ser inalados, utilizados em cremes e óleos de massagens, em sabonetes, escalda pés, aromatizadores de ambientes, entre outros.

Contraindicações:
Por serem substâncias extremamente concentradas e aromáticas, os óleos essenciais são contraindicados em gestantes, lactantes e recém-nascidos. Salvo alguns óleos essenciais como, por exemplo: lavanda, laranja-doce, camomila. Sempre lembrando da diluição recomendada de 1% a 3%.

NÃO CONFUNDA!

Aromaterapia: Formas de aplicação dos óleos essenciais com o objetivo de equilibrar a mente, o corpo e o espírito.

Aromatologia: Ramo da ciência que estuda os óleos essenciais e matérias aromáticas dentro de suas mais variadas práticas, englobando seu uso terapêutico através da aromaterapia, como também seu uso na gastronomia, psicologia, cosmética, medicina, agronomia, etc. A aromaterapia é um ramo da aromatologia.

Aromacologia: Define cientificamente a influência dos cheiros sobre as emoções e sentimentos. Ou seja, estuda quais são os efeitos de uma determinada fragrância sobre o organismo.

→ Entenda um pouco mais sobre a diferença entre óleos vegetais, essenciais e minerais, clicando aqui.

 

 

Leia mais...

Explorando o Natural

A diferença de hidratação entre: Óleo X Creme

Explorando o Natural

Vitamina E – Antioxidante Cosmético

Explorando o Natural

Peeling natural de inverno: mamão e cenoura

Um comentário sobre “AROMATERAPIA: o que é?

  1. […] São biodegradáveis e possuem propriedades terapêuticas e estéticas que auxiliam em tratamentos físicos, psíquicos e emocionais. Podem ser encontrados em perfumes, sabonetes, óleos para a pele e cabelos, xampus, etc. A utilização dos óleos essenciais são a base da aromaterapia. Saiba mais a respeito da aromaterapia e óleos essenciais aqui. […]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *